Notícias

14/12/2017 23:08Brasil terá 8 representantes no Sul-Americano


Competição será realizada neste fim de semana na Bolívia e servirá de evento-teste para os Jogos Sul-Americanos Cochabamba 2018

Menos de uma semana depois de encararem o Campeonato Brasileiro de Pentatlo Moderno de 2017, oito pentatletas do país estão a caminho de Cochabamba, na Bolívia, para o Sul-Americano da modalidade. O torneio, que começa nesta sexta-feira, 15, e vai até domingo, 17, servirá de evento-teste da modalidade olímpica para os Jogos Sul-Americanos de 2018, que serão realizados na cidade boliviana. O Brasil estará representado por Bianca Cavalcanti, Isabela Abreu e Priscila Oliveira, no feminino; e Danilo Fagundes, Felipe Nascimento, Gabriel Sasaqui, Victor Aguiar e William Muinhos, no masculino.

Todos os oito atletas da delegação brasileira competiram no Brasileiro realizado no último sábado, 9, no Rio de Janeiro. Priscila Oliveira e Danilo Fagundes, aliás, conquistaram o pentacampeonato no torneio. A pernambucana de 29 anos irá estrear nas arenas de Cochabamba antes do carioca, também de 29. Ela entra em ação nesta sexta, 15, na disputa feminina, e ele no sábado, 16, no evento entre os homens.

“Os treinamentos para o Sul-Americano foram os mesmos para o Brasileiro. A competição no Rio até serviu como teste para o torneio de agora”, Priscila conta. “Não parei de treinar neste segundo semestre, inclusive passei o mês de novembro nos Estados Unidos para um aperfeiçoamento”, ela relembra o camp training que fez na América do Norte.

Altitude será adversária

Priscila tem um bicampeonato (2010 e 2011), dois vice-campeonatos (2013 e 2016) e dois bronzes sul-americanos (2007 e 2008). Além disso, a número 1 do ranking nacional feminino foi bronze nos Jogos Sul-Americanos Santiago 2014. Ela sabe que uma das dificuldades que irá enfrentar na Bolívia vai muito além das arenas de esgrima, natação, hipismo e laser-run (tiro a laser e corrida).

“Não posso negar que a gente vai competir em uma altitude de 2,5 mil metros e que isso faz muita diferença para a gente. Mas não quero ficar pensando nisso. Vou dar o meu máximo para defender os meus títulos e espero voltar com alguma medalha. Vai ser difícil, mas a gente gosta de coisa difícil mesmo”, Priscila se diverte.

Já Danilo Fagundes vai à Bolívia esperando uma igualdade nos seus resultados. O carioca tem duas medalhas no Sul-Americano: um ouro (2012) e uma prata (2015); sem contar a prata nos Jogos Sul-Americanos de 2014.

“Não tenho competido esperando resultados. Busco a homogeneidade nas provas independente dos outros atletas”, Danilo é direto.

Pentajovems em ação

Já o colega de treinamento de Danilo e vice-campeão Brasileiro de 2017 Victor Aguiar não pensa em outra coisa a não ser o ouro no Sul-Americano. O carioca de 20 anos compete oficialmente na categoria Júnior (para pentatletas de 19 a 21 anos) e tem cinco medalhas em categorias de base no Sul-Americano, dentre elas dois bronzes Júnior (2013 e 2015).

“Toda competição só me importa um resultado: o ouro no pódio. Ser segundo para mim não significa nada”, o carioca revelado no PentaJovem, projeto que a Confederação Brasileira de Pentatlo Moderno (CBPM) mantém para a descoberta e formação de novos nomes na modalidade, é obstinado.

Enquanto Victor só pensa no lugar mais alto do pódio, Felipe Nascimento está focado em fazer o melhor que pode no Sul-Americano de Cochabamba. O pernambucano de 24 anos, que acabou de ser bronze no Brasileiro, representou o Brasil nos Jogos Olímpicos Rio 2016 e tem inúmeras medalhas sul-americanas. A começar pelo ouro na estreia do Pentatlo Moderno nos Jogos Sul-Americanos, em Santiago 2014. Além dela, Felipe também tem outras quatro medalhas sul-americanas. O pentatleta aproveitou o Brasileiro do último fim de semana como treino de luxo para o novo desafio.

“Espero fazer uma prova bem consciente e regular. A altitude será um fator a mais de dificuldade, mas irei focado em fazer o melhor que posso”, projeta Felipe, que foi revelado na versão pernambucana do PentaJovem.

Quarto lugar lá e cá

Outra revelação do PentaJovem que estará no Sul-Americano de Cochabamba é Bianca Cavalcanti. A carioca de 22 anos vai competir na categoria Sênior (acima de 21 anos) e quer estar entre as três colocadas do pódio desta sexta. Na história do torneio, ela tem duas medalhas em categorias diferentes: prata Jovem A em 2013 e bronze Jovem B em 2011.

“No Brasileiro eu não tive o desempenho que esperava”, Bianca relembra o quarto lugar conquistado no sábado. “Meus resultados no hipismo e tiro não me deram condição de estar entre as três primeiras colocadas, mas são detalhes que serão consertados agora na Bolívia”, a vice-líder do ranking nacional espera.

Assim como Bianca, no feminino, William Muinhos ficou em quarto no Brasileiro, entre os homens. O atual líder do ranking nacional quer uma boa competição na Bolívia para encerrar sua temporada bem. Para o carioca de 24 anos, o ano foi bom por não ter tido lesões graves, mas não foi muito proveitoso, pois não conseguiu participar de muitas competições.

“Espero fazer uma boa prova mesmo com a altitude. Em 2010, competi em Quito, no Equador, que também está bem acima do nível do mar, e não senti tanta dificuldade. Acredito que a altitude não será um ponto negativo”, torce William, outra estrela formada pelo PentaJovem.

Paraná presente

Sétimo geral no Brasileiro deste ano e vice-campeão Júnior, Gabriel Sasaqui é mais uma revelação do PentaJovem que participará do Sul-Americano de Cochabamba. O carioca de 21 anos irá competir na categoria Júnior e é dono do título Sul-Americano Júnior de 2015. Ele conta que os treinamentos foram os mesmos para os torneios de semana passada e o de agora.

“Talvez teria sido melhor fazer uma preparação voltada para a altitude, mas o que foi feito está bom”, Gabriel enfatiza. “Espero bons resultados nas provas técnicas e mesmo sabendo que não conseguirei grandes feitos nas provas aeróbicas, por causa do ar rarefeito, darei o meu melhor”, ele completa.

Quarto lugar no ranking nacional, Isabela Abreu quer projetar o país no cenário esportivo continental com a competição em Cochabamba. A curitibana de 22 anos vem em uma crescente na modalidade. Em setembro passado, ela representou o país no Mundial Militar, na Polônia.

“Espero encerrar a temporada na Bolívia nas melhores condições físicas e técnicas para representar bem o Brasil”, Isabela é otimista.

DELEGAÇÃO BRASILEIRA NO SULA DE COCHABAMBA

Feminino
Bianca Cavalcanti
Isabela Abreu
Priscila Oliveira

Masculino
Danilo Fagundes
Felipe Nascimento
Gabriel Sasaqui
Victor Aguiar
William Muinhos

PROGRAMAÇÃO DO SULA DE COCHABAMBA

Sexta (15 de dezembro): Disputa Feminina
Sábado (16 de dezembro): Disputa Masculina
Domingo (17 de dezembro): Revezamento misto

 

« Voltar