Imprensa

Notícias

Brasileiro terá cerca de 70 atletas de 6 equipes12/12/2019 21:17


Competição vai acontecer no Rio de Janeiro e terá nomes do estado, do Paraná, de Pernambuco e de São Paulo

O Campeonato Brasileiro de Pentatlo Moderno deste ano terá cerca de 70 pentatletas de seis equipes do país. O torneio, que será realizado nesta sexta e sábado, 13 e 14, no Rio de Janeiro, contará com nomes da capital fluminense, Resende (RJ), Curitiba (PR), Santos (SP) e Recife (PE), além de um representante da Comissão de Desportos do Exército (CDE).

Dentre os quase 70 competidores inscritos estão os atuais campeões, o carioca Danilo Fagundes, 31, e a paranaense Isabela Abreu, 24. Ele vai tentar seu heptacampeonato, já que subiu no lugar mais alto do pódio do torneio em 2011, 2013, 2015, 2016, 2017 e 2018. Já ela vai tentar seu terceiro título (2016 e 2018).

“A temporada teve boas competições e outras nem tanto. Mas foi boa no geral. Viajei muito a partir do meio do ano, principalmente por causa dos Jogos Pan-Americanos e outras competições internacionais”, Danilo avalia o ano.

Além de Lima 2019, no fim de julho, fora do país, o carioca também competiu no Mundial, em setembro, na Hungria; nos abertos da Polônia e do Quirguistão, ambos em setembro; e no Sul-Americano, em outubro, na Argentina.

“Vou fazer meu melhor no Brasileiro e o resultado que vier estará dentro do planejamento”, reforça Danilo, que é da equipe do Círculo Militar da Vila Militar (CMVM), onde foi revelado no PentaJovem, projeto que a Confederação Brasileira de Pentatlo Moderno (CBPM) mantém para a descoberta e formação de novos nomes na modalidade olímpica.

PÓS-HOMENAGEM DO COB

Já Isabela, além de também viajar por vários países, acabou de ser uma das homenageadas no Prêmio Brasil Olímpico, do Comitê Olímpico do Brasil (COB), por ter sido uma das medalhistas dos Jogos Pan-Americanos. Em Lima, a paranaense conquistou o bronze no revezamento feminino ao lado da pernambucana Priscila Oliveira, 31, que também estará no Brasileiro.

“A temporada foi bem intensa, com diversas competições, principalmente neste segundo trimestre. O ano pré-olímpico exige muito dos atletas e certamente exigirá ainda mais no primeiro semestre de 2020”, Isabela avalia.

Além da disputa na capital peruana, a paranaense também esteve nas copas do Mundo da Bulgária e da Hungria, em abril e maio, respectivamente; no Aberto do Quirguistão; no Sula da Argentina; e nos Jogos Mundiais Militares, também em outubro, na China.

A pentatleta da Comissão de Desportos do Exército (CDE) conta que os treinamentos neste ano foram focados para toda a temporada.

“Nós atletas temos uma rotina de treinamento traçada pelo treinador, cabendo a ele a periodização de acordo com cada competição. Sendo assim, fiz o treinamento e a preparação conforme o meu planejamento anual”, conta. “Todo atleta procura fazer o seu melhor nas competições, por isso espero que meu desempenho possa fazer com que eu tenha um bom resultado na prova”.

DE VOLTA AO COLÉGIO MILITAR

Assim como em 2018, o Brasileiro deste ano será dividido em dois dias e voltará ao Colégio Militar do Rio. Além da tradicional instituição educacional da capital fluminense, a Escola de Equitação do Exército também terá disputas do torneio, mais especificamente o hipismo, na sexta.

A escolha das arenas é comemorada pelos atletas. Nos Jogos Pan-Americanos Rio 2017, a Escola de Equitação sediou o hipismo do Pentatlo Moderno.

“O Colégio Militar tem uma estrutura muito boa e compacta para todas as provas. Eu particularmente gosto muito”, afirma a carioca Marylin Silva, 44, atual campeã Master do Brasileiro, que treina no CMVM.

O jovem paranaense Caio Cruz, 15, também elogia a escolha do Colégio Militar do Rio como o principal local das provas do Brasileiro deste ano.

“Admiro muito o Exército Brasileiro apoiando o esporte cedendo os espaços para a competição”, parabeniza ele, que treina no CMC e no último Brasileiro foi o campeão Sub-15 (para atletas de 13 e 14 anos). “Minha atual temporada foi bem forte e com bastante experiência adquirida. Já os meus treinos foram intensos, com muito apoio dos técnicos e dos amigos. Por isso o que eu espero para a competição é adquirir mais experiência, baixar o tempo na corrida e natação e fazer uma boa esgrima”.

PÓS-URUGUAI

Dos cerca de 70 pentatletas que estarão no Brasileiro, 12 acabaram de voltar do Uruguai, onde competiram, há duas semanas, no Sul-Americano Sub-19, com representantes de cinco países. Dentre eles está a carioca Marcela Mello, 15, que no país vizinho conquistou três ouros na principal categoria do torneio (individual, revezamento misto com o também carioca Matheus Romanelli e equipe feminina ao lado da paulista Maria Eduarda Costa e da carioca Raphaela Silva).

Também no Uruguai, Marcela foi homenageada por um gesto de fair play durante a natação. Na prova da piscina, ela corrigiu para menos o tempo oficial que tinham atribuído para ela nos 200 metros livres.

“No Sula, tiveram alguns pontos bons e ruins. Consegui fazer minhas melhores marcas em algumas provas e as piores em outras. Mas sei que tudo o que aconteceu tinha que acontecer. Fiquei muito feliz com meu resultado e entusiasmada para melhorar”, avalia a pentatleta do CMVM, também revelada no PentaJovem e que foi vice-campeã Júnior no último Brasileiro.

Assim como Marcela, no Sula do Uruguai, a paulista Maria Eduarda Costa, 13, conquistou três medalhas. A atleta do PentaJovem-Santos foi ouro por equipes com a colega carioca, prata individual na mesma categoria e bronze no revezamento misto Sub-17 (15 e 16 anos) com o carioca Nicholas Medeiros.

“Desde o Sul-Americano meus treinos continuam bem intensos e fortes, agora não é no momento de descanso. No Rio, espero mais uma vez conseguir baixar meus tempos e fazer uma boa competição”, reforça ela, que foi ouro Sub-17 no Brasileiro do ano passado.

Colega de treinamento de Maria Eduarda, a pequena Isabela Zucchi, 11, subiu duas vezes no pódio no Uruguai. Lá, ela conquistou dois bronzes Sub-13 (11 e 12 anos), um no revezamento misto com o carioca Kaio Ribeiro e outro por equipe feminina com a carioca Ana Clara Silva.

“Os treinos seguiram árduos, já que o planejamento era o Sul-Americano e o Brasileiro. Agora, espero melhorar os meus tempos, principalmente na corrida e no tiro. Quero fazer um bom desempenho e, claro, ganhar uma medalha para representar Santos bem”, projeta.

JOVENS E COM RESULTADOS

De Recife, o pernambucano Rômulo Bandeira, 13, será mais um presente no Brasileiro deste ano que se destacou no Sula do Uruguai. No país vizinho, ele subiu ao pódio duas vezes para receber a prata individual e o bronze por equipes masculina na categoria Sub-15.

“Os treinos continuaram desde que cheguei no Brasil. Mas com foco na nova categoria que vou competir. Estou com 13 anos e vou participar das provas Sub-17. Como vou estar em uma categoria acima da minha, meu objetivo será baixar tempo e avaliar desempenho. Não estou pensando em pódio, mas ficarei muito feliz em subir em um, claro”, avalia.

Um dos mais jovens a competir no Brasileiro deste ano, o também pernambucano João Marcos Santos, 11, chegará no Rio com o título Sub-11 (9 a 10 anos) que conquistou no ano passado. Um ano mais velho, na capital fluminense, ele irá competir na categoria Sub-13.

“Os treinos foram puxados, mas serviram para melhorar meu tempo, que é melhor do que no ano passado quando fui campeão. Se Deus quiser vou ganhar o Brasileiro, porque treinei muito forte e tenho técnicos muito bons”, espera.

PALESTRA SOBRE DOPING

Além das provas e das disputas por medalhas, assim como no ano passado, o Brasileiro deste ano terá uma palestra sobre doping com o Dr. Marco Michelucci, médico da União Internacional de Pentatlo Moderno (UIPM) e especialista em medicina esportiva.

Michelucci é membro da comissão médica da UIPM desde 2012. O brasileiro atua nos principais eventos da entidade pelo mundo como delegado médico, aprimorando as normas e estatutos da federação internacional.

O especialista também faz parte do controle médico/doping da Fifa, atuando como delegado médico em edições da Copa do Mundo e na formulação de novas diretrizes médicas da entidade.

BRASILEIRO DE 2020

Data: Sexta e sábado, 13 e 14 de dezembro

Provas: Escola de Equitação do Exército, à Estrada Marechal Mallet, 1.283, Vila Militar (hipismo, a partir das 14h de sexta) e Colégio Militar do Rio de Janeiro, à Rua São Francisco Xavier, 267, Maracanã (esgrima, natação e laser-run, a partir das 7h30 de sábado)

Palestra: Doping, com Dr. Marco Michelucci, às 18h de sexta, no Colégio Militar

EVENTOS

Master (a partir de 30 anos): natação, esgrima, hipismo e laser-run
Sênior (a partir de 21 anos): natação, esgrima, hipismo e laser-run
Júnior (19 a 21 anos): natação, esgrima, hipismo e laser-run
Sub-19 (17 e 18 anos): natação, esgrima e laser-run
Sub-17 (15 e 16 anos): natação e laser-run
Sub-15 (13 e 14 anos): natação e laser-run
Sub-13 (11 e 12 anos): natação e laser-run
Sub-11 (9 e 10 anos): natação e laser-run
Sub-9 (abaixo de 9 anos): natação e laser-run

 

« Voltar

Twitter Facebook

Fale conosco

Apar Comunicação
aparcomunica@gmail.com
(21) 9698-9708 (Ana Paula Domingues)
(21) 9245-8696 (Raimundo Aquino)